14 Razões para Termos um Ministério de Homens.

Existem diferentes ministérios a operar na igreja. Todos eles se revestem da maior importância para o Corpo de Cristo. É minha convicção, no entanto, que um Ministério direccionado para os homens é indispensável.

 

Algumas premissas:

Recuperar o tempo perdido

Há anos atrás, uma delegação dos Promise Keepers veio a Portugal, com o intuito de se reunir com os pastores portugueses, com eles partilhar o ministério e encontrar formas de cooperação. Esse encontro aconteceu, de facto, nas instalações do Monte Esperança, ao qual pude assistir. Por qualquer motivo, a vinda dessa delegação não surtiu qualquer efeito prático. Demasiados anos se passaram sem que o assunto voltasse a merecer importância entre nós. Contudo, como se costuma dizer: “Vale mais tarde do que nunca”, e estou convencido que Deus nos está a chamar em Portugal para implementarmos este Ministério nas nossas igrejas.

Hoje, os Promise Keepers estão entre as cerca de 200 organizações cristãs que operam nos Estados Unidos, algumas delas com extensões em outros países.

 

A experiência que vem de África

Tenho estado em contacto com a liderança dos homens das Assembleias de Deus em Moçambique. Deixa-me surpreso o nível de organização e acção que desenvolvem nas províncias onde estão implantados. Fiquei a saber que os homens se reúnem há já alguns anos, em encontros semanais às quintas-feiras. A estes encontros deram o nome de Grupo Homogéneo de Homens. Sei, também, que realizam Conferências Regionais e Nacionais, “onde têm sido grandemente abençoados e edificados”, de acordo com o Pastor Luís Manuel. Mais recentemente, o missionário Harry Osland disse-me que a Assembleia de Deus em Angola elegeu um Presidente a nível nacional para coordenar o Ministério de Homens.

 

O que dizem as estatísticas

De acordo com uma estatística frequentemente citada nos círculos ministeriais para homens, quando uma mãe aceita Cristo na igreja, o resto da sua família segue-a em cerca de 17% dos casos, Porém, quando um pai recebe Cristo na igreja, o resto da família segue-o em cerca de 93% dos casos. Quando um homem tem uma experiência de salvação, a sua família segue-o.

Há um quadro na Bíblia que ilustra esta realidade, no livro de Actos, capítulo 16. Paulo e Silas partilharam o evangelho. Imediatamente o carcereiro foi transformado. Logo de seguida, ele abre as portas de sua casa aos apóstolos, que partilharam Cristo com a família deste homem. Ainda o dia não tinha terminado e já toda a família fora baptizada e seguiu Jesus. Na Bíblia, os pais conduzem os seus filhos a Deus, não de outra forma. (David Murrow)

 

O ministério para homens é muitas vezes uma prioridade menor

A Igreja e o barco Titanic têm algo em comum: as mulheres e as crianças em primeiro lugar. A grande maioria do ministério nas igrejas evangélicas está focado nas crianças, seguindo-se as mulheres, e então, se houver/sobrar alguns recursos, serão afectos aos homens.

Em vez de se procurar alcançar os adultos com o Evangelho, algumas igrejas hoje têm adoptado aquilo que chamo de abordagem do McDonald´s: alcançar as crianças de modo a alcançar os pais. Renee Evans escreve: “As igrejas devem aprender a lição do gigante do fast-food: Se querem manter impacto nas crianças, precisam de alcançar os seus pais. O McDonald´s realiza cerca de 40% das suas vendas com os Happy Meals.”  (David Murrow)  

 

RAZÕES PARA TERMOS UM MINISTÉRIO DE HOMENS

Apresentamos 14 razões, admitindo, no entanto, que haja outras mais:

 

  1. O Ministério de homens deve seguir a abordagem que Jesus seguiu no Seu ministério

“O que é que há de errado com o foco ser primeiro as mulheres e crianças, na igreja hoje? Jesus não focou o Seu ministério nas crianças ou nas mulheres. Nem nos ordenou que o fizéssemos. A abordagem de Jesus foi primeiro aos homens. O Seu exemplo é claro. Se nós desejamos mudar o mundo, precisamos focar-nos nos homens. Não se trata de excluir as mulheres e as crianças – Contudo, o desenvolvimento do homem precisa de ser a nossa principal prioridade.” (David Murrow)

Já pensaram porque é que os muçulmanos apostam fortemente nos homens?

 

  1. Os homens necessitam de ter o seu espaço próprio

Não se trata de um espaço físico, ainda que irão precisar dele para estar juntos. Trata-se de um momento, uma possibilidade, uma oportunidade de poder falar e tratar de assuntos a eles inerentes. “Um lugar onde eles encontrem condições para se mostrar vulneráveis, descobrindo simultaneamente como é que outros homens se sentem e juntos terem a oportunidade de encontrar, na vida real, o caminho para a busca espiritual. Os homens não podem viver apenas de bons sermões aos domingos.” (50 Outlines for Men´s Meetings). E nem é nessas ocasiões que os assuntos que a eles dizem respeito serão tratados. Eles precisam de um lugar onde “O ferro aguça o ferro”. Esse lugar precisa de ser construído, disponibilizado. Esse pode ser o lugar da mudança. Assuntos como: O Homem e a sua integridade, O Homem e a prestação de contas, O Homem e a sua família, o Homem e o seu mundo, são alguns dos que precisam de se tratar em ambiente próprio.

 

  1. Para que o Cristianismo sobreviva, precisamos dos homens!

O Cristianismo continua a crescer no mundo, mas está a perder terreno em favor de dois agressivos competidores: o secularismo e o Islamismo. Desde 1950, o número de Cristãos duplicou, mas o número de muçulmanos tem triplicado.

Correndo o risco de ser alarmista, acredito que a igreja tem no máximo 250 anos antes de ser totalmente invadida por esta dupla - a menos que envolvamos os homens de novo.

O secularismo é, de facto, a religião da Europa hoje, a par do racionalismo, materialismo e anarquia, que têm invadido o mundo.

Porque estão o secularismo e o Islão em alta? Eu acredito que é devido à sua habilidade de capturar o coração dos homens. Em termos espirituais, as crianças tendem a seguir os seus pais. Um Cristianismo sem uma significativa presença masculina tende a atrofiar e a morrer. (David Murrow)

 

  1. Os homens não seguem programas; eles seguem homens

Uma mulher pode escolher uma igreja por causa dos programas que oferece, mas um homem procura outro homem que ele possa seguir. Veja-se o caso de Cristiano Ronaldo. Ele tem milhões de admiradores em todo o mundo, que desejam imitá-lo em muitos aspectos. Ele é um dos homens mais influentes, pelo menos para os mais novos, neste momento no mundo.

Ao longo das suas vidas, os homens são transformados através de encontros com homens que inspiram. Cada homem bem-sucedido, fala-nos de um pai, um tio, um professor, um treinador, um comandante, ou um graduado do exército que fez diferença na sua vida. Os homens estão a morrer por um líder. Cada homem, apesar da sua idade, precisa de outro homem para quem olhar e dizer no seu coração: Eu desejo ser como ele. (David Murrow)

 

  1. Os homens precisam de maior compromisso

Os cristãos no Reino Unido, por exemplo, são uma força de cerca de 1 milhão de praticantes, enquanto que os muçulmanos neste mesmo país rondam os 750 mil praticantes (números de 2005). Os muçulmanos ingleses vivem a sua fé com grande militância. Durante as ultimas três décadas, o Islamismo tem emergido como a segunda religião da Europa, a seguir ao Cristianismo.

Um ministério de homens é fundamental para atear um fogo abrasador que leve os homens a desejar ardentemente servir a Deus nesta nação, nos seus lares, nas suas famílias, nas suas comunidades.

 

  1. Precisamos de sacerdotes nos nossos lares

Uma das grandes necessidades das famílias cristãs dos nossos dias, é ter nos homens sacerdotes e pais espirituais. Um ministério para homens pode contribuir para formar essa consciência. Precisamos urgentemente de homens que exerçam o seu ofício sacerdotal pelas suas famílias, ministrando às suas necessidades espirituais e levando-as a oferecer sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus. Homens que ousem interpor-se entre os seus filhos e os valores confusos que lhes estão a ser transmitidos na escola. Que orem por eles diariamente, como Jó orava pelos seus filhos. Que ajudem a sua família a firmar os valores cristãos. Que ofereçam corações quebrantados e contritos. Que consagrem os seus corpos. Que estejam dispostos a servir.

 

  1. Um ministério que se assume como fundamental no combate ao absentismo no lar

O Ministério de homens é fundamental para combater o absentismo no lar. Quando os pais estão ausentes os problemas surgem e avolumam-se. Nós precisamos que os pais estejam totalmente comprometidos com a vida dos seus filhos, em trabalhar em prol da próxima geração. Em primeiro lugar, precisam de estar comprometidos com Cristo.

“A paternidade está sob ataque cerrado como nunca. Quando os pais não ocupam o seu lugar, os problemas acontecem. De acordo com a Iniciativa para a Paternidade Nacional (National Fatherhood Initiative), quando um pai está ausente, um (a) filho (a) tem:

7 vezes mais possibilidade de engravidar

4 vezes mais possibilidades de sofrer de pobreza

3 vezes mais propensão para usar drogas ilegais

2 vezes mais probabilidade de abandonar o ensino médio

 Acreditamos que os pais podem estar mais envolvidos na vida dos seus filhos. Queremos pais que estejam totalmente comprometidos e sejam intencionais em levantar a próxima geração. (Manhood Jorney)

O peso da presença dos pais é muito significativo. Como vai o pai, assim vai a família.

 

  1. O ministério de homens convida-os a sair da passividade espiritual e equipa-os para uma influência fiel

O ministério dos homens facilita a preparação de homens fiéis que guardem os seus compromissos. Chama homens à intimidade com Deus, à responsabilidade com irmãos em Cristo, à pureza de coração e à liderança de servo. Além disso, convida-os a honrar as mulheres, a orientar a próxima geração, a servir a liderança da igreja, a cumprir a missão da igreja, e a ser testemunhas destemidas do Senhor Jesus Cristo. (Dan Erickson e Rex Tignor)

 

  1. Os homens estão prontos para aceitar um novo desafio

Os homens gostam de desafios, metas a alcançar. São, por natureza, propensos a enfrentar desafios que envolvam graus de dificuldade de natureza elevada, a lutar por ideais, a alcançar patamares de realização que requerem deles destreza e ambição. Contudo, esses homens estão à espera de uma liderança que os desafie e capacite para desenvolver as suas aptidões, de modo a alcançar outros homens. Os recursos existem e esperam apenas a disposição para os aplicar. Um ministério de homens é fundamental para lançar esses desafios.

 

  1. É necessário promover o desenvolvimento dos homens

A igreja deve focar-se no desenvolvimento de maridos e pais eficazes. Esta é a maior oportunidade e o maior desafio para a igreja. Infelizmente, muitas igrejas locais não sabe como discipular homens, tornando-os líderes produtivos. Devem ser ensinados a liderar o seu lar antes de fazerem parte da liderança da igreja de forma bem-sucedida. A igreja tem a responsabilidade de ensinar os homens a ser líderes espirituais.

Existe uma necessidade óbvia de promover o desenvolvimento dos homens nas suas vidas pessoais, no seu compromisso com Deus, nas suas famílias e nas suas igrejas. (Dan Erickson e Rex Tignor)

 

  1. Os homens na nossa sociedade

Os homens da nossa sociedade – incluindo homens cristãos – são apanhados numa teia de engano sobre a sua masculinidade. Muitos homens sentem-se isolados. As gerações mais novas de homens apresentam um quadro ainda mais sombrio. Um pastor escreveu: “Não há pais nem modelos suficientes para os nossos meninos e meninas. A algumas mães, em famílias monoparentais, falta-lhes confiança para alcançar e compreender os seus filhos. Nas nossas ruas, os nossos rapazes estão a ser influenciados por homens maus e, pela televisão, crescem a acreditar num mundo de fantasia. (Dan Erickson e Rex Tignor)

 

  1. Os homens precisam de amizades saudáveis

Os homens estão à procura de irmãos espirituais de quem se tornem verdadeiros amigos. A despeito do que se acredita sobre os homens, eles estão à procura de outros homens que os incentivem, os exortem e os amem. Ao ver o amor de um amigo cristão, eles irão ver esperança para as suas próprias vidas e alguém a quem recorrer quando precisarem de ajuda. Foi isso que Jesus quis dizer em João 13:34-35. Há homens que acham difícil ter amizades genuínas na Igreja. Muitos gostariam de ter amigos com quem pudessem contar.

Para o ministério de homens ser bem-sucedido, deverá desenvolver um sistema que ajude homens a fazer amizades duradouras e significativas. Sem isso, vamos continuar a ter homens que se sentem sozinhos, isolados e sem esperança de que irão ficar melhor. Ao construir o nosso ministério de homens, temos de nos concentrar principalmente nos relacionamentos, não apenas em programas e envolvimento no ministério. (Dan Erickson e Rex Tignor)

 

  1. Aptidões no casamento e na família

A maioria dos homens nunca foram ensinados a ser homens, maridos ou pais piedosos. Se os homens aplicarem princípios da Palavra de Deus, iremos ver mudanças dramáticas na nossa sociedade. Os homens precisam de modelos de pais amorosos. Muitos deles tiveram relações pobres com os seus pais, que resultaram em feridas e ressentimentos profundos. Muitas vezes, essas experiências passadas são transportadas para as suas próprias famílias constituídas, continuando assim o ciclo de pobres aptidões como pais e ressentimento na geração seguinte. (Dan Erickson e Rex Tignor)

 

  1. A necessidade de crescer espiritualmente

O objectivo do ministério para homens é o crescimento espiritual. Esse crescimento não é um processo linear. Pode ser estimulado por qualquer número de acontecimentos ou actividades em diferentes graus de ênfase espiritual. A questão fundamental é esta: será que temos uma estratégia intencional para fazer discípulos nas nossas igrejas? Numa estratégia intencional para fazer discípulos deve haver eventos que criem um estímulo ao envolvimento no ministério de homens. A estratégia apela a uma variedade de eventos que servem como pontos de entrada, onde um homem pode vir a uma reunião de homens. Um ministério de homens bem-sucedido assenta numa variedade de pontos de entrada. (Dan Erickson e Rex Tignor)

 

Uma palavra aos Pastores isolados

A triste realidade em muitas igrejas é que o pastor vive isolado de outros homens, do mesmo modo que os leigos da sua igreja - se não mais. Muitos pastores admitirão que não têm um bom amigo nem uma amizade sólida. Por vezes, é possível que pensem que se os outros realmente soubessem das suas falhas, pensamentos e lutas, eles seriam desqualificados do ministério. Nada pode estar mais longe da verdade. Muitos homens gostariam de ver os seus pastores como pessoas normais que enfrentam os desafios de cada dia, como os demais enfrentam.

Uma outra razão porque muitos pastores hesitam em se envolver no desenvolvimento de um programa ministerial para homens é porque eles já têm muito que fazer. A ideia de mais um programa no cronograma não é muito apelativa. O ministério efectivo de homens, contudo, não é um programa, é um ambiente de transformação construído na base de relacionamentos vitais, que trazem inevitavelmente mudanças positivas dentro da igreja. (Effective Men´s Ministry)

 

Se este é um assunto que lhe desperta interesse, adquira o livro “Como ministrar a homens”, editado pelo Homem Hoje Online.

Abel Tomé