Luís Vidigal foi futebolista profissional durante 18 anos. Natural de Angola, começou a sua carreira no Elvas onde jogou 3 anos. Entretanto, rumou à cidade de Lisboa para jogar no Estoril e no final de um ano, foi contratado para jogar 5 anos no Sporting. Foi campeão pelo Sporting no ano de 99/2000, foi chamado para integrar a Seleção das quinas e no mesmo ano assinou por 4 anos pela equipa do Nápoles em Itália. Depois seguiram-se outras equipas italianas, 3 anos no Livorno e 1 ano na Udinese. No regresso a Portugal, jogou ainda 1 ano no Estrela da Amadora, embora o seu sonho fosse acabar a sua carreira no Sporting, o seu clube de coração. Casado com Sónia, têm 3 filhos, o David de 11 anos, o Daniel de 9 anos e o Gabriel de 2 anos.

Homem Hoje Online: Luís, sabemos que os seus irmãos também foram futebolistas. Como nasceu esta paixão na família?

Luís Vidigal: Provavelmente através da criatividade dos meus pais e pelas dificuldades que os levavam a sê-lo, qual seria o brinquedo que a todos satisfaria com um investimento reduzido? A bola, e a partir daí tudo começou, até hoje.

HHO: Sobre si, alguém escreveu que "era de uma entrega ao jogo a todos os níveis notável." Concorda?

LV: É difícil falar de mim e prefiro que sejam os outros a avaliarem-me, mas tenho consciência que foi e será sempre a minha forma de estar em qualquer projeto, seja ele profissional ou familiar.

HHO - Enquanto jogador, houve algum troféu que gostaria de ter ganho e não conseguiu?

LV -Sinceramente não, sinto-me ainda hoje muito abençoado por ter feito profissionalmente o que mais amava fazer. Nada a reclamar, sóa agradecer a Deus.

HHO - Dos troféus que ganhou, tanto ao serviço da selecção como do Sporting, e mesmo a nível internacional, qual foi o que mais lhe deu satisfação em conquistar?

LV - Sem dúvida alguma, o título de campeão com o SCP em 2000. 18 anos depois, mais do que a alegria que senti , perceber o que os sportinguistas sentiram. Fui participante de algo que transformou a vida de muita gente, colegas, dirigentes, todo o grupo de trabalho e, principalmente, os adeptos. Nunca vi tamanha mobilização em torno de uma equipa. Temos, sem dúvida, os melhores apoiantes.

HHO - Quando assiste aos jogos do Sporting, já houve momentos em que se pudesse vestia de novo a camisola e entrava em campo?

LV - Sofro bastante a ver os jogos do SCP, mas porque sou mesmo assim. De fora sofro muito mais do que quando jogava. Mas isso não é razão para armar-me em campeão e pensar que sou mais que os outros. Sei muito bem qual é a minha posição e, neste momento, e é a de estar cá fora observando e a partir dai poder ajudá-los com informação importante sobre o que vi.

HHO - Leonel Messi foi eleito recentemente o melhor jogador do mundo em 2012. Concorda com a atribuição do prémio?

LV - A eterna pergunta para os 2 ET do futebol.  O equilíbrio é enorme mas escolho o Cristiano pela simples mas muito importante razão do contexto em que cada um se encontra. O Messi fora do Barcelona não conhecemos e o Cristiano é forte por onde quer que passe.

HHO - Se pudesse, trazia de novo o Cristiano Ronaldo para o Sporting?

LV - Com certeza, significaria que tinha condições para fazer uma excelente equipa. Tendo poder financeiro para trazer o nº 1, teria com certeza para formar uma equipa ganhadora.

HHO: Como e porque se tornou cristão?

LV: É uma longa história... Considero-me uma pessoa equilibrada, fruto da excelente educação que recebi dos meus pais, tornando-me um exemplo em comportamento desde cedo. Daí nunca ter mostrado interesse em seguir alguém, a não ser o que tinha recebido dos meus pais, ainda que na família já houvesse alguém que fosse cristão evangélico, mas nunca senti necessidade nem curiosidade, uma vez que não sentia diferença entre nós.

Até que um dia aceitei o convite de um amigo para uma reunião dos Atletas de Cristo e percebi que só havia um caminho para chegar a Deus, através de Cristo Jesus. Na ocasião havia perdido o meu pai, a minha grande referência, e disse ao pastor que liderava os Atletas de Cristo (Pastor Salomão Oliveira), que falava todos os dias com Deus através do meu pai que estava no céu e ele respondeu-me que era lindo o sentimento que tinha em relação ao meu pai, mas que a única maneira para chegar a Deus era através de JESUS.

HHO: O que significa ser um Atleta de Cristo?

LV: É muitas vezes remar contra a maré, tal qual como é ser de qualquer outra profissão e ser cristão. Mas sendo futebolista de alta competição com o mediatismo e exposição constantes, há uma maior responsabilidade, uma vez que temos sempre os olhos atentos colocados sobre nós. Mas é uma verdadeira bênção e um grande desafio diário quando testemunhamos aquilo que Deus é na nossa vida, e ver vidas a serem transformadas.

HHO: Luís, como tem conjugado as exigências da sua carreira como futebolista com o tempo a dedicar à família?

LV: Fácil, estabelecendo prioridades e conversando bastante com a família, sobre as exigências da profissão mas fazendo-lhes perceber que são mais importantes e que só serei um bom exemplo se respeitar os meus compromissos sempre com a maior competência e responsabilidade. Não abdico do tempo necessário para estar junto da família, sempre que não estou em serviço.

HHO: Numa altura em que tantos casamentos se desmoronam, que valor atribui ao casamento e qual o segredo de uma vida a dois bem sucedida?

LV: O segredo é Cristo, o exemplo a seguir. Como devem imaginar não são só rosas, já passamos por tempos difíceis, mas quando olhamos para a cruz e percebemos que "está consumado", os nossos erros, as nossas angústias e as nossas dificuldades, o Senhor tem prazer em resolver. Sempre com obediência, pois não há Fé sem obediência, e negando muitas vezes as nossas vontades, porque esse é o exemplo deixado por Cristo na cruz. Quando cremos nisto somos mais que vencedores.

HHO: Sabemos que partilha a sua fé naturalmente, sendo referência comum em entrevistas que dá. Que espaço ocupa na sua vida e porquê?

LV: A fé ocupa todo o espaço. Não é possível viver em Cristo se não for a todos os níveis, em casa, no trabalho, na rua, sozinho, no meio do trânsito, onde quer que estejamos.

HHO: Planos para o futuro?

LV: Acreditamos que devemos viver um dia de cada vez, sempre com o objetivo de em tudo servir ao Senhor e com a certeza de que o resto nos será acrescentado. " Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo; a nossa Fé." - João 5:1-4

Se é um fã do Luis Vidigal e gostaria de rever a sua participação ao serviço do Sporting CP, poderá vê-lo em acção