Sempre que penso na palavra coragem ou em atitudes corajosas de algumas pessoas, um nome surge imediatamente como referência à minha mente, Calebe, a que alguns chamaram soldado corajoso. E porquê? Porque este homem preocupou-se em agradar a Deus em lugar de agradar aos homens, em vez de preocupar-se apenas com o que as pessoas à sua volta iriam pensar. Depois, porque não se deixou intimidar pela aparente desvantagem numérica em que se encontrava, ousando confrontar o seu parecer com o dos outros (Números, capítulo 13). Imagino que não tenha sido fácil para este homem, como não será fácil para nós, hoje, permanecer firmes diante dos demais, defendendo os valores e as convicções em que acreditamos.

Face aos desafios do tempo presente, em que opiniões, valores, comportamentos de pessoas à nossa volta diferem claramente daquilo em que acreditamos, constituindo mesmo uma afronta à fé, ao evangelho que partilhamos, o desafio de permanecer mantém-se. Fazemos parte de uma geração de seguidores de Jesus que hoje estão sendo postos à prova nas suas crenças, como tem acontecido com outras gerações, que vêem os ensinamentos do Mestre nos Evangelhos ser ridicularizados, que enfrentam questões complexas sobre a identidade sexual, o casamento de pessoas do mesmo sexo, a desvalorização da família tal como a conhecemos, a violência, que requerem de nós uma atitude corajosa. Infelizmente muitos estão a comprometer as suas convicções, mas ainda há quem não esteja disposto a ceder a pressões e dê a cara por aquilo em que crê.

Uma dessas pessoas é Chris Broussard, analista de ESPN ( Entertainment and Sports Programming Network), que, em resposta a Jason Collins, o primeiro jogador da NBA que veio a público recentemente assumir a sua homossexualidade, tomou uma posição de acordo com o seu ponto de vista do Cristianismo, afirmando: “Sou um cristão. Eu não concordo com a homossexualidade, penso que é um pecado.”

De facto, aquilo que Chris fez foi defender o que a Bíblia defende. Quando Deus criou Adão e Eva e lhes disse: “Frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra…” (Génesis 1:28), Ele não estava a falar para duas pessoas do mesmo sexo, mas para um casal composto por um homem e uma mulher.

A questão da homossexualidade, do casamento entre pessoas do mesmo sexo, da adopção por casais homossexuais, é um tema fracturante da nossa sociedade, e será, provavelmente, um dos assuntos mais discutidos nestes próximos tempos. Veja-se, por exemplo, o que aconteceu recentemente em França, com a aprovação de uma lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, bem como a adopção por casais homossexuais. Não obstante as manifestações públicas em contrário, a lei foi aprovada, tornando a França no nono país da Europa e no décimo quarto país no mundo, a tornar em lei o casamento homossexual.

A pressão sobre os cristãos, para que abandonem posições consideradas homofóbicas sobre a homossexualidade, vai intensificar-se, não tenhamos dúvidas. Tal como Chris Broussard, os seguidores de Jesus nestes dias não se podem deixar intimidar com pressões ou lobbies, mas permanecer corajosamente firmes no evangelho. Como diz Alan Carr: “Precisamos de homens e mulheres de coragem, convicções e integridade”.

Se deseja saber mais sobre esta matéria, visite o nosso site em “Áreas de Interesse” e clique em Sociedade onde encontrará um texto da autoria do Dr. Jorge Cruz, que aborda a questão da homossexualidade numa perspectiva cristã. Veja ainda o vídeo sobre o depoimento de Chris aqui.

Abel Tomé

 "Fomos criados para ser corajosos! Senhor, Ajuda-nos a ser corajosos!"

 https://www.youtube.com/watch?v=pkM-gDcmJeM