Sonho mergulhar com tubarões brancos

O MEU PRIMEIRO CONTACTO COM o mergulho aconteceu no ano de 2002, na pequena aldeia do Burgau, concelho de Lagos, num complexo turístico de uns amigos ingleses. Foi em finais de Setembro. Estava eu na piscina daquele complexo, quando observei umas pessoas equipadas com umas roupas e um equipamento que só estava habituado a ver na televisão, que se preparavam para entrar na água. Curioso, observei aquele que viria a ser o meu primeiro Instrutor (Brent) a dar indicações a duas pessoas. Aquilo para mim, na altura, era "chinês". Hoje, quando penso nisso, rio-me sozinho, pois tomou-se algo simples, mas muito importante, uma vez que o que toma o mergulho recreativo um dos desportos mais seguros do mundo é aprender e praticar aquelas regras básicas que nos irão seguir em todos os cursos seguintes. Naquele dia, fiquei logo a saber o que era preciso para começar a tirar o primeiro curso de mergulho (Open Water Diver) e, na semana seguinte, já era eu que estava naquela piscina a aprender as tais regras "esquisitas"! Dali para a frente, apoderou-se de mim o "bichinho do mergulho" e até ao curso de Instrutor foram dois anos de muito empenho e dedicação, aproveitando ao máximo todos os bocadinhos de tempo livre. Hoje, quando "vejo" tudo isto à distância, parece fácil mas houve algo, no princípio, que me pareceu um obstáculo quase intransponível. É que todos os Instrutores eram ingleses e só sabiam dizer "bom dia" e "obrigado" em português. E eu nunca tinha tido contacto com a língua inglesa . Contudo, com a ajuda de Deus consegui ultrapassar esse obstáculo e todos os cursos que fiz, tanto práticos como escritos, foram em inglês e tive sempre a nota máxima! E com o nível de exigência a subir à medida que ia suplantando os vários cursos (Advanced; Rescue Diver; Dive Master), acabei por tirar diversos cursos ligados à segurança e assistência no mergulho, e finalizei também os cursos de Instructor EFR; Instructor Oxygen First Aid for Scuba Diving Injuries ; Instrutor DAN Advanced Oxyg en First Aid; Instrutor DAN Basic Life Suport; Instrutor DAN Automated Externa} Defibrillation; Instrutor DAN First Aid for Hazardous Marine Life Injuries. O mergulho tem-me dado oportunidade de conhecer pessoas de todos os cantos do mundo e ter experiências incríveis que outro desporto nunca me poderia dar. Já tive o privilégio de mergulhar em vários locais do mundo, desde ter a companhia de golfinhos, tartarugas, tubarões, baleias, grandes cardumes de sardinhas e de outros peixes até ao mergulho em que a única companhia, além do nosso buddy, é o silêncio! Como em quase todas as coisas da vida, temos os nossos desejos ou sonhos. No que diz respeito ao mergulho, só me sentirei realmente realizado, se é que isso é possível no que ao mergulho diz respeito, quando puder concretizar o meu sonho de mergulhar com tubarões brancos! O mergulho tem-me dado , também, a oportunidade de explorar o mundo subaquático - desde naufrágios, recifes imaculados, aldeias afundadas, e até os mistérios de uma pedreira local. A prática do mergulho liga-me à natureza, dá-me um sentimento de liberdade e transformação e envolve-me em novas sensações e experiências, que têm transformado a minha percepção da vida. Para mim, pessoalmente, quando mergulho é uma oportunidade de me integrar com a natureza, experimentando um elemento não destinado originalmente aos seres humanos. As coisas que se vêem debaixo d'água são incríveis. O mergulho leva-me para um mundo diferente com novas cores, formas, texturas e criaturas. Gosto de ter a sensação de leveza e de liberdade para me mover como quiser. É uma forma de escape para um mundo diferente que tive o privilégio de um dia conhecer junto de pessoas que mergulhavam e gostavam de mergulhar, e que também gostavam de compartilhar o mergulho com outros. Assim me apaixonei por este desporto! Convido o leitor a experimentar o mergulho, uma forma de renovar a sua energia e estimular os seus sentidos.

Luís Rego